quinta-feira, março 04, 2021

NOTÍCIAS DO MUNDO GAY

 Polonesas são absolvidas por cartaz de ‘Nossa Senhora LGBT’.



A Polônia foi núcleo de protestos calorosos ano passado. Brados que clamavam por direitos básicos e, sobretudo, respeito à diversidade foram recorrentes. Desta vez, Elzbieta P., Anna P. e Joanna G que haviam levado os cartazes a uma manifestação em 2019, na cidade de Plock (110 km a noroeste da capital Varsóvia), foram absolvidas preliminarmente.

O entendimento das autoridades partiu da premissa de que as militantes não tinham o intento de ferir preceitos da igreja católica, mas sim de lutar pelos direitos da diversidade. A polêmica veio à luz após o arco-íris, símbolo da luta contra a LGBTfobia, ser pintado sobre um ícone de Nossa Senhora de Czestochowa, santa de devoção dos poloneses.

“Foi na opinião do tribunal um ato provocativo? Sim. Essa polêmica forma de expressão não pretendia introduzir um problema importante para o debate público? Não há nenhuma disposição da Igreja Católica que exclua pessoas não heteronormativas”, afirmou o juiz. Cabe recurso da decisão.

O presidente controverso do país, Andrzej Duda, que pertence ao partido de direita PiS (Lei e Justiça), foi eleito no final julho para um segundo mandato de cinco anos. O chefe de Estado já destacou, inclusive, que quer o país longe da ideologia LGBT.

Ministro da Educação pede desculpas e diz que não quis desrespeitar LGBTs.


Milton Ribeiro

Após tecer críticas fervorosas a LGBTs, atrelando, em sua fala do ano passado, a homossexualidade a famílias desajustadas, Milton Ribeiro, ministro da Educação, disse à PF que não quis desrespeitar comunidade.

Ele ressaltou que “Jamais teve a intenção de desrespeitar nem incentivar qualquer ato contra a comunidade LGBT” ao dizer que homossexuais têm origem em “famílias desajustadas”.

“[Milton Ribeiro disse] que sua história atesta que não pensa que essas pessoas são inferiores, nocivas ou prejudiciais, pois tem postura de acolhimento e inclusão, tanto que aos 62 anos de vida é a primeira vez que se depara com esse tipo de situação de ter de responder por esse fatos”, destaca o depoimento de Ribeiro.

Após a justificativa, Toffoli indagará à PGR se o órgão vê elementos plausíveis que justifiquem a abertura da investigação. Ano passado Milton rejeitou um acordo, e a defesa do ministro solicitou o arquivamento do pedido à PGR.

Justiça revoga adoção e casal homoafetivo é obrigado a devolver bebê; entenda!


Juliano Peixoto de Pina e Johnatan Pereira de Araújo

A história do casal formado por Juliano Peixoto de Pina e Johnatan Pereira de Araújo, em Pirenópolis, está se disseminando velozmente nas mídias sociais. Há 6 anos, o casal resolveu iniciar uma preparação, com todos os aparatos necessários, para adotar uma criança. Se inscreveram no Sistema Nacional de Adoção (SNA) para que os critérios para viabilizar a ação fossem devidamente avaliados. Depois de concedido este direito e com a chegada da menina, Juliano e Johnatan perderam a guarda provisória do bebê e tiveram que entregá-lo a outra família, que era o lar acolhedor inicial, após 12 dias de vínculo afetivo.

A família acolhedora foi quem cuidou de Sofia após a separação de seus pais, dependentes químicos, pois na cidade não há lares acolhedores. Contudo, segundo os especialistas que cuidam do caso, este lar acolhedor não tem legitimidade para adotar sem passar por todo o processo o qual o casal passou. Isto é, a medida estaria violando as regras de adoção.

Atualmente, ambos aguardam o julgamento de um agravo interno no Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO), que deve ocorrer no próximo dia 15 de março. “O sentimento é de que tem um preconceito velado por sermos um casal homoafetivo. Somos habilitados para a adoção, a lei nos ampara. Juridicamente, a família acolhedora não tem direito de adotá-la, justamente para evitar adoções à brasileira como ocorreu. A família que acolheu provisoriamente não está apta, não passou pelo processo previsto no SNA”, disse.

“O quartinho dela está todo montado. Tudo organizado. O tempo está passando, a saudade aumenta e a esperança que ela volte vai morrendo, mas não vamos desistir”, afirmou.

Veja a petição criada –

https://secure.avaaz.org/community_petitions/po/tribunal_de_justica_do_estado_de_goias_voltaaurora/

Travesti sofre sessão de tortura no interior de SP; vítima teve perfurações no pescoço, mãos, seios e nádegas.



Uma travesti de 21 anos, identificada como Bruna, foi hospitalizada depois que dois homens a torturaram, arrancaram parte do couro cabeludo e tentaram assassiná-la. Segundo informações do portal Universa, do UOL, o crime bárbaro aconteceu em São Carlos (SP). A polícia investiga o caso como crime de transfobia.

De acordo com o Boletim de Ocorrência, na madrugada de sexta-feira (26/02), a vítima foi levada à força a um matagal da cidade, onde sofreu uma sessão de tortura. Os agressores tentaram decepar suas orelhas e havia perfurações feitas por facas em seu pescoço, mãos, seios e nádegas. Desfalecida, ela foi abandonada no matagal. “Tentaram descaracterizar a identidade dela. É um crime de transfobia. Ou seja, aqueles que sentem ódio só pelo fato da pessoa ser transgênero”, disse. Felizmente, Bruna recobrou a consciência e se arrastou até à beira de uma estrada, onde conseguiu socorro.

Ela foi encaminhada às pressas à Santa Casa e permaneceu sedada até a tarde de domingo (28/02), não apresentando mais risco de morte. A jovem ainda não tem previsão de alta. O Boletim de Ocorrência foi registrado como crime de transfobia e tentativa de homicídio. Ninguém foi preso até o momento.

Homem mata namorado e aguarda polícia sentado com a faca usada no crime.



Cristian, de 25 anos, matou o namorado, segundo informações da polícia e testemunhas, por motivações passionais. E, após a consumação do crime, aguardou a chegada da polícia com a faca, usada para matar, nas mãos.

A vítima, identificada como Douglas Gonçalves, foi golpeada com uma faca após uma discussão acalorada de ambos ocorrida por volta das 9h45.

Douglas, no entanto, chegou a correr para fora da residência, mas não resistiu aos ferimentos e morreu ainda no quintal, conforme informou o Metrópoles.

O autor foi preso no último domingo (28) em Sorriso, no Mato Grosso. O crime foi registrado pelas autoridades como homicídio doloso (quando há intenção de matar). O autor foi preso em flagrante, e a faca utilizada no crime foi apreendida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário