sexta-feira, abril 30, 2021

HOMOSSEXUALIDADE

 Comunidade tóxica: por que gays não se sentem acolhidos por outros gays?



Por que gays são cruéis uns com os outros?

Recentemente, eu fiz uma enquete no Instagram perguntando para os seguidores se eles se sentiam acolhidos na comunidade gay. 

A resposta?

Mais de 80% disse que NÃO! 

E junto com o voto na caixinha também vieram várias histórias, teorias e desabafos por inbox. 

Sinceramente, o resultado da enquete não me surpreendeu. Não é de hoje que eu recebo mensagens de homens gays reclamando do quanto a comunidade lgbt+ pode ser tóxica. 

E essas mensagens vêm de homens de todo tipo. Dos gordinhos. Dos magrinhos. Dos afeminados. Dos negros. E até dos supostamente “padrões”.

Eles dizem se sentir rejeitados. Excluídos. Marginalizados. ⁣

E os motivos são muitos:⁣

⁣Gays agem como rivais⁣
Gays julgam outros gays⁣
Gays excluem quem está fora do padrão⁣
Gays são proconceituosos com outros gays⁣
Gays são cruéis com outros gays⁣
Você concorda?⁣

⁣Você alguma vez sentiu falta de encontrar uma rede de apoio em outros gays?

Pensando em tudo isso (e também na minha experiência de mais de 5 anos trabalhando exclusivamente com desenvolvimento pessoal para homens homossexuais) decidi escrever este artigo com 5 possíveis razões do porquê às vezes gays parecem ser tão cruéis uns com os outros. 

E que fique claro: a ideia não é justificar ou minimizar algumas atitudes bem escrotas que possam existir por aí. Mas, sim, tentar entender qual é a origem desse comportamento. 

Afinal, quando você faz esse trabalho de análise, duas coisas acontecem:

#1. Você consegue ser mais empático,  já que entende que todo o qualquer julgamento diz mais muito sobre o julgador que do que sobre o julgado. É aquela clássica de Freud: “Quando Pedro fala de Paulo, sei mais sobre Pedro do que Paulo”. 

#2. Talvez você se dê conta de que a origem desse comportamento também te afeta de alguma forma

Dito isso, aí vão elas:

#1. MUITOS GAYS AGEM NA DEFENSIVA

Sabe aquela história de “pessoas machucadas machucam pessoas”? 

Pois é, ela se encaixa bem aqui. 

Afinal, se tem um grupo que foi machado e traumatizado neste mundão de Deus, é o dos gays. 

E onde começa esse trauma todo? 

No lugar onde mais se estraga os seres humanos deste planeta Terra, mais conhecido como jardim de infância…

Sim, o menino gay é ensinado desde cedo que poderá estar em perigo caso revele ao mundo quem é de verdade.

Muitos escutam coisas absurdas como:

Ser gay é errado. É uma aberração. É algo imoral. É algo que não deveria existir, que a Igreja não aprova.

Tem os que, inclusive, são expulsos e duramente rejeitados pela família, que deveria ser a maior referência de apoio e proteção. 

Resultado? 

As consequências do bullying pesado lá atrás podem gerar um mecanismo de defesa traiçoeiro em alguns:

O de precisarem fazer o outro se sentir pequeno para se sentirem grandes. 

A verdade é que o jovem homossexual aprendeu tanto a estar na defensiva, a se proteger, que, inconscientemente, pode manter o mesmo padrão na vida adulta até ganhar confiança de quem está conhecendo.

Daí o que parece ser simplesmente maldade, na verdade, é pura autodefesa. 

#2. MUITOS GAYS TÊM UMA NECESSIDADE ABSURDA DE VALIDAÇÃO 

Validar alguém seria confirmar que essa pessoa existe, que é real, que é verdadeira, que tem valor.

Todos nós temos a necessidade de sermos validados pelos outros em algum grau. 

Quando você fala algo em uma reunião, quer sentir que está sendo escutado. Quer sentir que sua ideia está, pelo menos, sendo levada em consideração. Quando se sai bem em um projeto ou trabalho, quer ser reconhecido. Quer ser elogiado. 

Validar o outro significa confirmá-lo. É como dizer: “Você tem significado para mim”.

Daí imagine só a confusão mental do jovem gay que não tem a sua identidade e personalidade validadas?

Afinal, elas estão onde? 

Escondidas, claro!

Sejamos realistas:

Para um menino gay, não é dada outra possibilidade se não ser hétero.

Ele cresce acreditando que só assim poderá ser considerado “normal”. Que só assim poderá ser aceito. Ser amado. E, principalmente, que só assim poderá estar PROTEGIDO.

Então, o que faz?

Como forma de escudo, se esconde. 

Abre mão das vontades. Controla gestos. E sacrifica a própria espontaneidade por conta do medo.

Resumo da história: 

Gays aprenderam a esconder parte da sua identidade e personalidade desde pequenos. Por isso, podemos dizer que não tiveram a sua pessoa validada. 

O resultado é uma busca absurda de validação na vida adulta. 

Alguns buscam validação num corpo sarado. Outros na carreira, alcançando altos cargos e acumulando grana. Outros no sexo, transando com o maior número de boys (e os mais sarados possíveis). 

Tudo com um forte objetivo oculto: 

Provar serem alguém de valor. E validar aquela pessoa que não foi reconhecida lá atrás. 

E o que isso tem a ver com ser cruel com outros gays? 

É que existe ainda um outro recurso de validação utilizado por alguns:

Invalidar o outro. 

Exatamente. Quando você invalida o outro porque ele é diferente em algum ponto (porque é afeminado, porque é gordo, porque é velho…), automaticamente, você se valida:

“Se ele tem menos valor porque dá pinta, logo eu tenho mais valor porque sou discreto”

“Se ele tem menos valor porque vive em um tribal, logo eu tenho mais valor porque tenho um relacionamento monogâmico”

E por aí vai…

Faz sentido?

#3. PANELINHAS ÀS VEZES MAIS EXCLUEM DO QUE AGREGAM

Ainda fruto dessa necessidade de validação surgiram as subtribos gays:

Gays ursos, gays lontras, gays barbies, twinks, nerds e etc.

E por quê?

Porque a maneira mais fácil de encontrar confirmação e acolhimento é buscando semelhantes. 

Muitos gays saem do armário e acreditam que agora sim vão ter a rede de apoio que precisam. Até que… surpresa: 

se dão conta de que, mais uma vez, será preciso se encaixar. 

E alguns rapidamente se encaixam, unindo-se à sua “tribo”. 

Mas e aqueles que ficam no limbo? 

Esses se sentem duplamente marginalizados, não é mesmo?

Pois é…

É claro que grupos assim são muito positivos por juntarem homens gays com interesses e características em comum. 

Mas, da mesma forma que eles unem pessoas, por vezes também segregam. E contribuem com um forte sentimento de inadequação. 

Afinal, incentivam a exclusão daqueles que são diferentes (como a gente vê tanto acontecer com gays afeminados, por exemplo). 

Aliás, qual é a sua opinião sobre isso:

Você acredita que as tribos gays mais unem ou excluem pessoas? 

Deixe a sua opinião nos comentários abaixo do post. 

#4. A SOCIALIZAÇÃO GAY GIRA EM TORNO DA PEGAÇÃO

Não é regra, obviamente, mas onde você geralmente conhece outros homens gays?

No aplicativo. Na balada. Na sauna…

E o que esses lugares têm em comum?

Que, a princípio, ninguém está lá para fazer amigos, né? 

Sejamos sinceros, todos estão lá para pegar um boy. 

Pois é…

#5. O OUTRO SEMPRE PODE SER UM CONCORRENTE…

Com a socialização gay tão voltada para a conquista, não é de se surpreender que homens gays se enxerguem como concorrentes. Afinal, qualquer um pode ser um rival disputando o mesmo boy que você. 

#.6 … OU PODE ESTAR QUERENDO TE PEGAR

Diferente dos héteros, as amizades entre gays têm ainda outro desafio peculiar:⁣

Qualquer aproximação de outro gay pode ser interpretada com segundas intenções. ⁣Fica sempre aquele dúvida: 

“Será que ele quer ser só meu amigo, ou será que tá querendo me pegar🤔?”

Ufaa. Quanta coisa!

Sim…

Respire fundo aí pegue um ar. 

São muitas as particularidades que, de novo, não justificam, mas explicam as atitudes de alguns. 

E agora eu queria saber o que você pensa sobre esse assunto:

Você sente falta de uma HOMORIDADE?⁣

Não, HOMORIDADE não existe no dicionário (e boatos que também está longe de existir na prática…). Mas é uma sugestão de termo para se criar algo parecido com a sororidade feminina. ⁣

⁣Você apoia essa ideia?⁣

Sororidade, para quem não sabe, é um conceito do feminismo que prega o fim da rivalidade entre as mulheres.

É sobre empatia, solidariedade, companheirismo e respeito. Sobre abraçar a ideia de que juntas as mulheres são mais fortes, e que precisam umas das outras para provocar uma mudança social. ⁣

Você acredita que existe essa mesma irmandade entre os gays?⁣

Você já passou por isso? Você também tem dificuldade de fazer amigos gays?⁣

Se sim, me deixe saber.⁣

2 comentários:

  1. Em grande parte do que foi exposto, percebo essa crueldade com que tratamos uns aos outros.
    Vale salientar que esse espaço aqui abre caminho pra juntos encontrarmos uma saída de forma a contribuir com a comunidade como um todo.
    Tenho me exposto de forma natural em todos os ambientes. deixando claro a minha opinião sobre todo e qualquer assunto.
    Se noto qualquer forma de desconhecinento sobre o assunto, me coloco à disposição pra dirrimir dúvidas.
    Fica a dica:
    Sejam autênticos!

    ResponderExcluir
  2. Em grande parte do que foi exposto, percebo essa crueldade com que tratamos uns aos outros.
    Vale salientar que esse espaço aqui abre caminho pra juntos encontrarmos uma saída de forma a contribuir com a comunidade como um todo.
    Tenho me exposto de forma natural em todos os ambientes. deixando claro a minha opinião sobre todo e qualquer assunto.
    Se noto qualquer forma de desconhecinento sobre o assunto, me coloco à disposição pra dirrimir dúvidas.
    Fica a dica:
    Sejam autênticos!

    ResponderExcluir