segunda-feira, abril 12, 2021

NOTÍCIAS DO MUNDO GAY

 Rússia formaliza homofobia governamental e proíbe casamento e adoção por casais LGBT



Decisão não é surpresa na Rússia de Putin, onde a comunidade gay e queer enfrenta violência e discriminação frequentes

O presidente russo, Vladimir Putin, assinou, no último dia 5, uma emenda constitucional proibindo formalmente o casamento entre pessoas do mesmo sexo na Rússia. A informação é do site croata Bosna.

Definir o casamento como uma união apenas de homens e mulheres faz parte de um grupo de reformas constitucionais votadas pelos russos em 1º de julho de 2020. Desse pacote, que foi apoiado por quase 78% dos russos, a disposição mais famosa é permitir que Putin concorra por mais dois mandatos presidenciais de seis anos. Em 2036, ele ainda governará a Rússia. No mesmo pacote de mudanças constitucionais, Putin recebeu imunidade vitalícia de acusação.

Casamentos entre pessoas do mesmo sexo já são ilegais na Rússia, então a nova redação na Constituição realmente estabelece isso e torna ainda mais difícil para casais do mesmo sexo terem uma chance de igualdade com casais heterossexuais.

Isso também significa que as pessoas LGBT não poderão adotar crianças.

Esta decisão não é nenhuma surpresa na Rússia de Putin, onde a comunidade gay e queer enfrenta violência e discriminação frequentes, e a conhecida proibição da “propaganda gay”, que proíbe a distribuição de qualquer coisa considerada pró-LGBT +, existe desde 2013 .

Antes da votação nacional das emendas constitucionais, que os críticos afirmam ter sido fraudadas, um grupo de propaganda pró-Kremlin liderado pelos aliados do presidente russo publicou um anúncio mostrando órfãos adotados por dois pais, que o vestiram com um vestido e fizeram uma maquiagem pra cima.

O anúncio dizia: “Decida o futuro do país. Vote nas emendas à Constituição. “

No momento da votação, Alphonso David, presidente da Campanha de Direitos Humanos, descreveu Putin como uma “ameaça aos direitos humanos de todos”.

“A Rússia está obstruindo seus ataques aos direitos humanos básicos e à dignidade das pessoas LGBT + ao adicionar proibições constitucionais contra a igualdade no casamento”, disse ele, acrescentando que a propaganda de Putin era vergonhosa, manipuladora e maliciosa.

Advogado do interior do MT pinta arco-íris em muro para rebater preconceito.



Yann Dieggo caracteriza a ação como uma forma de se posicionar contra a violência física e verbal sofrida pela população LGBT+ de Campinópolis

Um muro com as cores do arco-íris vem chamando a atenção dos moradores de Campinápolis, a 656 km de Cuiabá, no Mato Grosso, relata o site Olhar Direto. A obra estampa a casa do advogado e procurador jurídico do município, Yann Dieggo, que caracteriza a ação como uma forma de se posicionar contra a violência física e verbal sofrida pela população LGBT+ na cidade.



“Em uma oportunidade, disseram para uma amiga minha, também advogada: ‘Como deixaram um gay passar no concurso público para defender o município?'”, contou Yann ao site, relembrando um dos episódios de homofobia em seus 13 anos atuando no judiciário.

Nas últimas eleições municipais, no ano ano passado, o advogado conta que um dos candidatos a vice-prefeito, Rafael Pereira Lopes (PSC), chegou a sofrer com comentários homofóbicos em grupos de WhatsApp focados no debate político da região.

Em um dos áudios a que a equipe do site teve acesso, um homem afirma que se a chapa de Rafael ganhasse, o candidato iria transformar o maior evento do município, uma exposição agropecuária, em “uma festa gay”.

“Fizeram inúmeras piadas ofensivas com um candidato, só porque ele havia tirado uma foto em um bloco de carnaval, com roupas coloridas. Nas ofensas diziam que se ele ganhasse, iria trazer a Parada Gay para o município, e que a ExpoCampi se transformaria em Campigay”, disse Yann.

Nenhum comentário:

Postar um comentário