sexta-feira, abril 30, 2021

POLÍTICA

 Política genocida de Bolsonaro já matou mais de 400 mil brasileiros de Covid-19.



Marca foi superada nesta quinta-feira (29), 36 dias após o Brasil passar os 300 mil óbitos pela doença, o que mostra um avanço vertiginoso da Covid-19 no país.

Segundo informações do consórcio de mídia, que se baseia nos números das secretarias estaduais, 400.021 pessoas morreram em decorrência da Covid-19 no Brasil desde março de 2020, quando foi registrado o primeiro óbito no país. No total, uma em cada cinco mortes notificadas no país (21,7%) desde março do ano passado é decorrente da doença.

Há pouco mais de um mês, no dia 24 de março, o Brasil havia somado 300 mil mortos pela Covid-19. Os 100 mil óbitos nos últimos 36 dias mostram a ascenção vertiginosa da contaminação no país, que contrasta com a lentidão do programa nacional de vacinação planejado pelo então ministro Eduardo Pazuello à frente do Ministério da Saúde.

O Brasil é o segundo país em óbitos acumulados, atrás apenas dos EUA (cerca de 575 mil), e também o segundo no registro de novas ocorrências da Covid-19 na última semana, ranking liderado agora pela Índia. A taxa de letalidade mais que dobrou, de 2% no final de 2020, para 4,4% na semana passada.

A marca de 400 mil mortos deve ser confirmada nas próximas horas pela contagem feita pelo Ministério da Saúde, que atualiza os números da doença sempre no final da tarde. No momento, os números do governo marcam 398.185 óbitos. Entre terça e quarta-feira morreram 3.163 pessoas por Covid-19 no Brasil.

Bolsonaro tenta afrontar Edinho Silva com envio de alimentos para Araraquara e toma invertida nas redes.



A cidade comandada pelo petista controlou a pandemia através do lockdow. A ação divulgada pelo presidente teve o apoio do Exército, ganhou nota na Agência Brasil, mas foi desmascarada nas redes.

O presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido) resolveu afrontar Edinho Silva, prefeito de Araraquara, de forma bem peculiar.

O presidente postou, às 4h35 da manhã desta quinta-feira (29), um vídeo com um comboio partindo do Ceagesp, em São Paulo, rumo a Araraquara, levando alimentos às vítimas da política, segundo ele, do “fique em casa que a economia a gente vê depois”.

A cidade de Araraquara foi uma das primeiras no Brasil a conseguir controlar a pandemia do coronavírus através de um amplo lockdown. A cidade virou exemplo mundial.

A ação divulgada por Bolsonaro teve o apoio do Comando Conjunto Sudeste do Exército e ganhou nota na Agência Brasil. No entanto, nem o prefeito e nem os vereadores da cidade solicitaram os alimentos, como admitiu o próprio coronel Mello Araújo, que comandava a operação. 

Agradecimentos do presidente da CEAGESP, Cel. Mello Araujo, a todos os envolvidos em mais uma ação emergencial.

Desta vez, iremos até a cidade de Araraquara no dia 29/4 às 3h30 da manhã levando toneladas de alimentos para a população.#ceasabrasilsolidario pic.twitter.com/QR3b96Egix

Veja abaixo:

— CEAGESP Oficial (@Ceagesp_Oficial) April 28, 2021
Neste momento, em todo o Brasil há problemas de insegurança alimentar. O fato de ter escolhido Araraquara, uma cidade localizada na região central do estado mais rico da federação, é surpreendente e chamou a atenção dos internautas.

A estratégia bolsonarista tem recebido duras críticas nas redes sociais, sendo tratada como mais uma picuinha do presidente. Veja abaixo:

Bolsonaro tentado usar Araraquara (sim eu moro aqui) pra FINGIR que o Lockdown acabou com a cidade, quando as mortes CAÍRAM drasticamente graças ao Edinho (PT) ter planejado um lockdown efetivo que ta fazendo a gente respirar um pouco.

Bolsonaro é um babaca de um nível extremo.

— Rodrigo mas não o Santoro (@STNZNH) April 29, 2021

O presidente decidiu postar um vídeo às 4:35 da manhã mostrando caminhões do Exército que levarão toneladas de alimentos até Araraquara, para socorrer “as vítimas do Fique em Casa”.

Segundo a própria Ceagesp, nem o prefeito, nem vereadores da cidade requisitaram a ajuda. pic.twitter.com/LNZFnpIgCg

— Samuel Pancher (@SamPancher) April 29, 2021

Se não tivesse o "fique em casa e a economia a gente vê depois" Araraquara estaria bem melhor. Até pq morto não precisa comer

— Icaro ⚫⚪ (@icarohrsccp) April 29, 2021

Araraquara fez lokdown e esta vacinando. NÃO morre ninguem por covid na cidade ha dias. Hospitais atendem ja ha pacientrs de outros municipios. Bolsonaro vai levar contaminação pra cidade. Prefeito de araraquara é PT.

— ☘ Denise Soares (@Brasile93364633) April 29, 2021

O Brasil inteiro precisando de ajuda do governo Federal, de auxílio emergencial, de leitos de UTI e Bolsonaro decide enviar um comboio transportando alimentos para Araraquara, uma das poucas cidades do País onde ninguém (ZERO PESSOAS) está morrendo de COVID. #BolsonaroGenocida

— Nilto Tatto – #ForaBolsonaro (@NiltoTatto) April 29, 2021

essa do bolsonaro mandar comida pra araraquara que ninguém pediu foi ótima

— victor silva – saúde para todos (@detetivevsilva) April 29, 2021

Muito bem lembrado, oxigênio eles não levaram pro Amazonas e querem distribuir cesta básica em Araraquara ? Hipocrisia.

— Margarida Rulhas (@rulhas) April 29, 2021

o cara é tão idiota q fica procurando pelo em ovo. não basta araraquara ter zerado os casos praticamente, tem q aguentar um presidente boçal achando q ta todo mundo na miséria https://t.co/lyLTJzm5M4

— 𝖊𝖒𝖆𝖓𝖚𝖊𝖑 (@em_almeid) April 29, 2021

'O único caminho para o Brasil se ver livre do vírus é se livrando desse presidente'.



O Brasil atingiu a marca de 400 mil mortes por Covid.

“Quem tem a caneta é o Executivo e quem está à frente do Executivo chama-se Jair Messias Bolsonaro. A missão do Parlamento hoje é trabalhar apoiado nas leis para barrar o presidente da República de continuar cometendo atrocidades e fiscalizar as suas ingerências para denunciá-las aos órgãos competentes”, disse o deputado Júnior Bozzella (PSL).

“O Bolsonaro deveria estar em uma camisa de força, e não no Palácio do Planalto. O único caminho para o Brasil se ver livre do vírus é se livrando desse presidente negacionista, que não tem o menor apreço pela vida humana”, acrescentou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário