quinta-feira, maio 20, 2021

NOTÍCIAS DO MUNDO GAY

 Deputado bolsonarista será denunciado ao Ministério Público por postagem em que defende a homofobia.



O deputado estadual em Mato Grosso Gilberto Cattani (PSL), apoiador de Jair Bolsonaro (sem partido), foi denunciado ao Ministério Público do Estado (MPE) nesta quarta-feira (19/05) após publicar uma mensagem em seu Instagram onde defende a homofobia. 

Na publicação, o parlamentar ironizou as campanhas realizadas no Dia Internacional Contra a LGBTfobia, comemorado nesta segunda-feira (17/05), afirmando que “ser homofóbico é uma escolha. Ser gay também”. Diante da publicação, entidades ligadas à comunidade LGBTQ+ se posicionaram contra a atitude do parlamentar.

De acordo com o presidente do Conselho Municipal de Atenção à Diversidade Sexual de Cuiabá, Valdomiro Arruda, diversas entidades devem entrar com representações contra o parlamentar. “Falei com o promotor Henrique Schneider e ele vai acatar a nossa representação e de outras entidades ligadas à população LGBT+”, afirmou Arruda ao portal Olhar Jurídico. 

Delegado diz que investigações sobre serial killer de Curitiba estão bem adiantadas.



Polícia diz que mais três pessoas "criaram coragem" para denunciá-lo por agressão.

Em entrevista concedida ao UOL News, o delegado Thiago Nóbrega, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) do Paraná, disse que três pessoas denunciaram o suspeito de cometer assassinatos a homens gays em série, José Tiago Correira Soroka.

O delegado disse que as vítimas viram as imagens do suspeito e “criaram coragem” para denunciar as agressões. Ele também disse que as investigações seguem em andamento, mas estão bem “adiantadas” graças a diversas denúncias feitas pela população após a divulgação das imagens.

“As investigações estão adiantadas. A gente conseguiu diversas denuncias que estão apontando possíveis paradeiros e esconderijos, desse suspeito. Estamos levantando todas as informações, conseguimos identificar o local onde ele esteve até sexta-feira (14) agora. Conseguimos imagens deste local onde ele estava, porém, ele não se encontra nesse endereço, mas a gente está todo dia recebendo denúncias”, declarou.

Em coletiva de imprensa realizada no último dia 17 de maio, o delegado Thiago Nóbrega comentou que o suspeito não chegava a ter relações sexuais com os homens.



“Ele tem perfil de serial killer, com problemas psicológicos. Precisamos tirá-lo de circulação o quanto antes, pois está matando uma média de uma pessoa por semana. Queremos realmente alertar o grupo gay”, destacou o delegado Thiago Nóbrega.

Apesar de se encontrar com homens gays, a polícia descobriu que José Tiago tem uma medida protetiva com uma ex-namorada. Ele também tem dois filhos.

Ele assassinou três jovens gays que moravam sozinhos em encontros marcados pelo Grindr. Uma quarta vítima conseguiu escapar no dia 11 de maio, sendo importante para as investigações.

“Ele age do mesmo modo há 30 dias, sempre com homossexuais. Ele vai até a casa das vítimas e lá pega a pessoa desprevenida, dá um mata-leão, a sufoca com travesseiro ou coberta e leva pertences da vítima após o assassinato”, explicou a delegada Camila Cecconello.

Não se sabe ainda o motivo dos crimes, mas a DHPP suspeita de latrocínio (roubo seguido de morte), já que ele pegava computadores e celulares das vítimas após estrangulá-las.

O primeiro crime ocorreu no dia 16 de abril, em Abelardo Luz (Santa Catarina), quando Robson Olivino Paim foi encontrado morto. Em Curitiba, a primeira vítima foi David Júnio Alves Levisio, no dia 27 de abril, e Marco Vinício Bozzana da Fonseca, no dia 4.

Em Curitiba, casal gay recebe carta com ofensas homofóbicas de vizinho: “Lugar de vocês não é aqui”.



Um casal de Curitiba fez um Boletim de Ocorrência na Polícia Civil após receber uma carta homofóbica dentro de caixa de correspondências do apartamento em que mora, no bairro Pinheirinho. Juntos há seis anos, o técnico em enfermagem Leonardo Cordeiro e o assistente comercial Oeder Neto Martins moram no mesmo condomínio há dois. 

Ao chegar do trabalho, Oeder foi até a caixa postal pegar as correspondências do dia quando encontrou a carta. O texto, que começava dizendo “oi casalzinho alegre”, foi digitado e impresso. “Pessoas baixas, que ofendem o que Deus deixou, homem e mulher e não homem com homem, que coisa feia, nunca imaginei que viria (sic) isso onde eu moro. (…) Que coisa feia, o lugar de vocês não é aqui“, diz um trecho da carta. Ao Meio Dia Paraná, jornal da afiliada da TV Globo no estado, o casal disse que nunca passou por nada parecido. “Para mim é uma pessoa de mente pequena, de mente vazia. Por que usar o nome de Deus pra isso…independente se a pessoa é gay, hétero, Deus ama qualquer um do jeito que é“, desabafou Leonardo.

https://pheeno.com.br/wp-content/uploads/2021/05/carta-pheeno-capa-1.jpg

Segundo informações da reportagem, autoridades estariam com dificuldades para encontrar o autor já que as câmeras de segurança do local não chegam ao espaço onde ficam as caixas postais. Para o casal, a sensação é de frustração. “Frustrados, porque a gente paga nossos impostos, levanta para trabalhar cedo, trabalha bastante e ainda receber isso é uma situação deplorável”, lamenta Leonardo.

Desde 2019, uma decisão do Supremo Tribuna Federal (STF) equiparou a homofobia ao crime de racismo e incluiu tal delito na Lei do Racismo. O crime tem pena de um a três anos, além de multa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário