quinta-feira, junho 10, 2021

NOTÍCIAS DO MUNDO GAY

 Casal impedido de hastear a bandeira LGBT+ resolve iluminar a casa com cores do arco-íris.



O casal gay Memo Fachino e Lance Mier foram impedidos de hastear a bandeira do Orgulho LGBTQ+ na varanda da casa onde moram em Wisconsin, nos Estados Unidos, pela associação de moradores do bairro. Em resposta, eles decidiram iluminar a própria residência com as cores do arco-íris, fazendo uma referência mais direta. As informações são do Pink News.

Fachino disse em um post do Reddit que a associação de moradores deu a desculpa de que nenhum tipo de bandeira, exceto a que simboliza os Estados Unidos, podia ser hasteada. O casal de homens ficou relutante em tirar a bandeira, especialmente porque o aviso foi feito poucas semanas antes do Mês do Orgulho, mas acabaram dando uma solução criativa para o caso.

“Ao analisar as novas regras, percebemos que as luzes removíveis são permitidas sem restrições, então compramos seis holofotes coloridos e iluminamos nossa casa com as cores do arco-íris”, disse o Fachino “Um pouco menos sutil que a nossa simples bandeira, mas muito mais divertido do que ter uma pessoa reclamando do que representa a bandeira”.

A imagem da casa com as cores da bandeira LGBTQIA+ foi posta em uma comunidade do Reddit e, em menos de 48 horas, já  tinha mais de 80,000 upvotes e vários prêmios do canal.

Apesar da situação, Fachino fez questão de enfatizar que o objetivo não foi afrontar as regras da associação de moradores.

“Não queríamos atacar ninguém”, disse ele ao Milwaukee Journal Sentinel, “Não nos sentimos atingidos na nossa comunidade. Foi apenas um modo divertido de mostrar nossa individualidade e dar apoio de modo que não quebrasse as regras”, concluiu .

Vale lembrar que aqui no Brasil, em abril de 2020, a mãe do ator capixaba Bruno Meneguelli, resolveu homenagear o filho pintando a casa de ambos com as cores do arco-íris. Bruno publicou a novidade em seu Twitter. 

LGBTs fazem fila e compram todo o estoque de padaria boicotada por fazer biscoitos arco-íris.



A padaria Confections, localizada em Lufkin, no estado do Texas, resolveu homenagear o Mês do Orgulho e fez cookies em formato de coração e decorados com as cores do arco-íris. Com a foto dos biscoitos, fez uma postagem em uma rede social com a legenda: “Mais AMOR. Menos ódio. Feliz mês do orgulho para todos os nossos amigos LGBTQ! Todos os amantes de cookies e da felicidade são bem vindos aqui“.

A novidade não agradou muitos de seus consumidores, que decidiram boicotar e cancelar pedidos, além fazer a página do Facebook perder uma quantidade significativa de seguidores após a homenagem. No dia seguinte, fizeram um outro post: “Meu coração está pesado. Honestamente, eu nunca pensei que um post que, literalmente, diz ‘mais amor e menos ódio’ pudesse resultar nesse tipo de repercussão”. 

Dois dias após a repercussão, LGBTs de todo o país começaram a apoiar a empresa, não apenas nas redes sociais, mas também comprando todo o estoque do estabelecimento. Muitas pessoas também passaram a fazer doações em dinheiro para Confections, não apenas porque as mercadorias haviam acabado, mas também porque a padaria não faz entrega para outras cidades. Com o excesso de doação, as empreendedoras pediram aos apoiadores que doassem dinheiro para abrigos de animais.

A Confections também divulgou uma foto da tarde do dia 4 de junho, mostrando clientes enfileirados.



Segurança que impediu travesti de usar banheiro feminino é condenado pela Justiça.



A Justiça de Alagoas condenou, neste dia 7 de junho, um segurança que impediu a travesti Lanna Hellen de usar o banheiro feminino no Shopping Pátio, localizado na Cidade Universitária, em Maceió. As informações são do G1.

Na decisão, o juiz Ygor Vieira de Figueirêdo condenou o segurança por racismo, tendo como base a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que em 2019, por oito votos a três, aprovou o uso da Lei do Racismo para punir homotransfobia. O uso desta lei se trata de uma medida provisória enquanto o Congresso cria leis específicas para LGBT+.

A sentença determinou pena de um ano e seis meses, convertida em prestação de serviços comunitários de seis horas por semana e pagamento de 10 salários mínimos destinados a um grupo ou organização não governamental de Alagoas que atue em favor da comunidade LGBTI+.



Já o caso em si ocorreu no dia 3 de janeiro de 2020, quando Lanna decidiu ir ao banheiro feminino do Shopping Pátio Maceió, mas foi impedida pelo segurança que pediu para que ela se retirasse. Em protesto, ela subiu em uma mesa da praça de alimentação e fez um vídeo denunciando o caso, mas foi retirada à força e levada pela polícia para a delegacia. 

O segurança negou as acusações. “O acusado afirmou que não é verdadeira a imputação que lhe foi feita e não impediu o acesso Lanna Hellen ao banheiro. Destacou que conhecia de vista a pessoa apontada como vítima e ela era funcionária de uma das lojas do shopping center e que sempre utilizou normalmente o banheiro feminino, inclusive no dia dos fatos narrados na denúncia”.


Lanna Hellen foi impedida por seguranças de entrar no banheiro feminino em um shopping de Maceió

No entanto, o magistrado citou o depoimento de testemunhas e imagens de vídeos do momento em que Lanna Hellen foi abordada. “Resta evidente que o réu não permitiu que a vítima utilizasse o banheiro feminino exclusivamente em virtude do fato dela ser transexual, o que representa conduta discriminatória inaceitável e que deve ser enquadrada como racismo”, diz o texto.

Mulher cisgênero flagra namorado com travesti e agride homem com tijolada na cabeça.



Um homem de 48 anos foi parar no hospital após ser agredido com uma tijolada na cabeça pela namorada, uma mulher cisgênero, que flagrou o amado se relacionando com uma travesti. O caso aconteceu nesta terça-feira (08/06) no bairro Jardim José Richa, em Campo Mourão, no Paraná.

A mulher de 38 anos contou aos policiais que ambos são usuários de drogas e a agressão aconteceu na casa da amante do rapaz. Ela disse que ao chegar no local, flagrou seu namorado mantendo relações sexuais com a travesti. Furiosa, ela pegou um tijolo e atirou contra o namorado, atingindo o homem na cabeça. Ele foi socorrido pelo Samu e levado ao hospital.

Segundo informações do portal Ric Mais, uma equipe da PM registrou a ocorrência e a agressora foi levada para a Delegacia de Polícia Civil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário