terça-feira, junho 08, 2021

POLÍTICA

 Vídeo para evento de apoio a Weintraub governador tem sorteio de moto e participação de Bolsonaro.



Na legenda do vídeo aparece: "Acelera para Cristo 12/06" e um logotipo de "Weintraub 2022 Governador São Paulo", com foto do ex-ministro e bandeira do estado.

Um vídeo de convocação para a carreata com Jair Bolsonaro, no próximo dia 12 em São Paulo, que divulga o sorteio de uma moto para os participantes, foi publicado no Twitter, Facebook e Instagram por páginas de apoio à candidatura do ex-ministro da Educação Abraham Weintraub ao Governo de São Paulo em 2022.

O vídeo foi postado em 25 de maio.  Em sua legenda aparece: “Acelera para Cristo 12/06” e um logotipo de “Weintraub 2022 Governador São Paulo”, com foto do ex-ministro e bandeira do estado.

Quem organiza a carreata de motos e anunciou o sorteio é uma associação chamada Embaixada do Comércio em parceria com o Conselho de Pastores de São Paulo.
Após o contato do Painel, da Folha, o vídeo sobre o sorteio foi apagado nas redes, mas a propaganda do evento permanece nos canais.

No vídeo, um narrador faz o convite: “Começou em Brasília. Depois Rio de Janeiro. ​E agora é a vez de São Paulo. Venha fazer parte da maior carreata de motos da história do Brasil. Acelera para Cristo 2021. Faça sua inscrição e participe do sorteio de uma moto. Acesse: embaixadadocomércio.com.br”.



Procurado, Weintraub afirmou que não fala com a Folha.

O administrador das páginas de apoio ao ex-ministro, Rodrigo Moller, afirmou que Weintraub não participa dos canais e que nem o conhece, mas é um apoiador. Moller não quis comentar sobre o vídeo.

O presidente da Embaixada do Comércio e pastor da Assembleia de Deus Jackson Vilar disse não concordar com a divulgação do sorteio pelas páginas “Weintraub Governador 2022” e disse desconhecer os vídeos com o logotipo dos canais.

“É alguém que montou isso aí, isso é fake news”. Ele afirmou ainda que não estava de acordo e não havia autorizado a divulgação do sorteio dessa forma. Quando a coluna falou sobre abuso de poder econômico, concordou. “Exatamente, olha, vou falar pra você, que país que a gente vive. É terrível”, disse ainda.

Vilar afirmou também que não faz sentido fazer campanha para Weintraub, pois o candidato de Bolsonaro em São Paulo é o ministro da Infraestrutura Tarcísio de Freitas.

Com medo, Carlos Bolsonaro indaga sobre possíveis perguntas de investigação dos atos golpistas na CPI.



Cerco se fecha para filho de Jair Bolsonaro que seria um dos mentores do "gabinete paralelo", uma espécie de versão pandêmica do gabinete do ódio

Com o cerco se fechando sobre o chamado “Gabinete paralelo” – uma versão pandêmica do chamado “gabinete do ódio” -, o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) indagou sobre possíveis questionamentos que poder feitos por Renan Calheiros (MDB-AL) sobre os atos golpistas caso seja convocado a depor na CPI do Genocídio.

“Alguém me tira uma dúvida: seria de acordo com a lei o relator da CPI, Renan Calheiros, ter acesso ao chamado inquéritos anti-democráticos, que corre sob sigilo, para questionar inquiridos?”, indagou Carlos.

O tuite aconteceu cerca de uma hora depois que o ministro Alexandre de Moraes, responsável pelas investigações no Supremo Tribunal Federal (STF) levantou sigilo sobre o inquérito – permitindo assim o acesso a todas as pessoas, incluindo os senadores que fazem parte da CPI.

“O sistema é fod@”, comentou um seguidor do filho de Jair Bolsonaro, compartilhando a notícia sobre o fim do sigilio. “Estou perguntando antes disso…”, respondeu, de forma confusa, Carlos.

Sem perceber, Bananinha posta vídeo em que Enéas descreve governo Bolsonaro.



Eduardo Bolsonaro tentou fazer uma crítica à atuação da CPI da Covid, mas sua publicação teve o efeito contrário.

O deputado federal Eduardo Bolsonaro tentou criticar no Twitter a atuação da CPI da Covid no Senado nesta segunda-feira (7). Mas, por causa de suas dificuldades psicotécnicas, sua publicação teve o efeito contrário.

O Bananinha compartilhou um vídeo antigo em que o ex-deputado federal e médico Enéas Carneiro critica a politização de assuntos técnicos por pessoas sem conhecimento para discutí-los.

Ele descreve um futuro distópico em que pessoas sem formação médica querem decidir sobre quais medicamentos devem ser distribuídos para a população. Enéas parece estar descrevendo o governo de Jair Bolsonaro e a defesa aloprada da cloroquina e do tratamento precoce.

“Daqui a pouco, dentro dos hospitais, vai se discutir o remédio que o doente vai tomar. Os doentes, entre si, vão decidir: ‘tem que ser democrático’. Isso é um absurdo. As pessoas têm que discutir aquilo que entendem. Não tem sentido você colocar aqui 10 pessoas em uma mesa, se nenhuma é médica.”

Segundo o Bananinha, Enéas “profetizou”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário