sábado, julho 10, 2021

Dei para meu primo

 


Por anonimo


Minha primeira vez com uma pessoa do mesmo sexo, aconteceu quando eu tinha 18 anos, minha mãe viajou e pediu para que meu primo ficasse na minha casa me fazendo companhia. 

Eu já sabia o que ia rolar, pois meu primo era um pervertido e havia muito tempo que eu o admirava e fantasiava dormir com ele. Ele sempre se gabou por ter um pênis enorme e eu não via a hora de confirmar a veracidade da informação. 


Lá pelas 23h decidimos ir "dormir". Fomos ao belixe, ele na parte de cima e eu embaixo. Ficamos deitados e calados por alguns minutos, até que ele me perguntou: -Bruno, você bate punheta?


-Às vezes, porque?

-É que eu tou batendo uma agora (Não respondi, porém coloquei um sorriso no rosto).

-Você quer ver?- perguntou ele sussurrando.

-Aham, respondi meio sem jeito.





Subi para a parte superior do belixe, de imediato ele colocou a mão no meu calção e segurou meu pênis. Ele começou a me masturbar e pediu que eu fizesse o mesmo com ele, ficamos nisso por um tempinho. Depois ele disse:


-Eu deixo você meter na minha bunda, se você deixar eu meter na sua depois. (É claro que foi só uma tática que ele usou para conseguir me penetrar já que eu não tinha a menos experiência, o contrário dele.)



Aceitei a proposta, mas não logrei muito, e logo ele pediu que eu saísse de cima dele, não cheguei a penetra-lo, mas senti um tesão imenso, por ser minha primeira vez.


Ele me deitou com a bunda pra cima, e deitou-se por cima de mim. Seu pau era realmente grande e fez um esforço para entrar, eu estava totalmente a vontade e relaxado, quando senti aquilo dentro de mim quase delirei, era maravilhoso, principalmente depois que ele começou a bombar. 



Sentia seu saco repousar no meu rabo, não senti dor, apenas prazer. Ele gemia e pedia pra eu fazer o mesmo, não fiz pois sentia vergonha. Ele gozou dentro de mim e fomos tomar um banho (separados). Depois ele me disse:

-A gente fez isso aqui mas ninguém é veado não, viu.

Concordei, mas no fundo eu sabia, que era aquilo realmente o que eu queria.


Nenhum comentário:

Postar um comentário