sábado, novembro 27, 2021

Estuprado pelo amigo

 

Meu nome é Jorge, atualmente tenho 28 anos, o fato que passo a narrar é verídico e aconteceu comigo quando eu tinha 22 anos, estava eu sozinho em casa, quando um amigo meu bateu a porta, era Eduardo, amigo de infância, um rapaz de 19 anos, bem apresentado.



 O cumprimentei e disse para entrar. Ficamos um tempo conversando sobre futebol, musica, etc... até que ele entrou no assunto sexo, que havia transado com uma vizinha nossa e contou tudo em detalhes, foi quando percebi que ele ao contar a história estava muito excitado, havia um volume bem grande sob sua calça de moletom. Aquilo foi algo estranho, me chamou a atenção, mas sem maldade, fiquei olhando para seu volume. Então ele percebeu que eu olhara e largou uma piadinha: "Ta gostando do que vê?", nessa hora fiquei sem jeito e tentei me explicar dizendo que não quer apenas tinha me distraído com a história dele, e estava a olhar a esmo, para o vazio. Mas ele insistiu, e inclusive comentou que um outro amigo nosso, o Felipe, havia lhe contado que suspeitava de mim, eu relutei em tom áspero o adverti, xingando-o, nesse momento notei que ele ficou sério, se levantou e foi para cima de mim, dizendo: "Que isso cara, quem tu pensas que é para me xingar?",

 Então tentei contornar a situação, mas não foi possível, e ele continuou: "Você fica posando de macho, mas não me engana não, viu?". Nisso ele soltou um tapa no meu rosto e me agarrou firme, dizendo que ia me dar uma lição, tentei fugir, mas ele era mais forte e maior que eu. Então ele me pegou pelos cabelos e me baixou até cintura dele me colocando de joelhos diante dele, e ordenou: "Vai chupa aí vai viadinho, senão vou te arrebentar!",




Novamente tentei controlar a situação, pedindo que se acalmasse, e até tentei fugir, mas não teve jeito, recebi outra porrada, então ele baixou a calça de moletom e tirou para fora seu membro que estava a ponto de explodir de tão duro, era muito grande e grosso. Eu já tinha ouvido falar da fama que o Eduardo tinha de ser bem-dotado, mas não achava que fosse tanto, confesso que quando vi comecei a pensar que poderia ser interessante, então para matar a curiosidade e evitar de levar uma surra, segurei seu membro e comecei a chupá-lo, estava latejando de tão duro, comecei a acariciar seus ovos enquanto chupava aquela ferramenta que já tinha nesse momento me deixado bastante excitado também.




 Eduardo dizia: "Chupa viadinho, deixa ela bem dura, pois quero muito comer esse teu cuzinho", isso me deixou mais louco ainda, eu queria cada vez mais, eu o chupava como se fosse arrancá-lo. Não aguentando mais de tesão, ele mandou que eu me levantasse e me debruçasse no sofá, de pronto atendi! Então ele baixou minha calça e começou a apertar minha bunda com as mãos e acariciar meu cú com o dedo médio, e dizer: "Que cuzinho quente, quer ser enrabado viadinho?", eu respondi: "Sim Eduardo, vai... me fode com vontade... tira minha virgindade". Nisso ele enterrou o dedo em mim a seco, ardeu um pouco pois realmente nunca havia dado para ninguém, então imaginei, se o dedo ja ta ardendo como será sentir aquele ferro imenso?




Nessa hora tive medo, mas o tesao falou mais alto. Então Eduardo começou a esfregar a cabeça de seu caralho no meu cuzinho, o que me deixou com mais tesão ainda, então ele começou a forçar a entrada, mas não conseguia penetrar, pois era muito grosso e estava doendo muito. Então ele abriu minhas nadegas e cuspiu no meu cuzinho, e voltou a forçar, parecia que ia me rasgar ao meio, então comecei a pedir, implorar: "Por favor Edu, devagar tá doendo muito, vc vai me arrebentar desse jeito...", mas ele não me deu ouvidos e com uma estocada firme senti meu cuzinho se arregaçando como se tivesse sendo rasgado, senti seu cacete deslizar até a metade dentro de mim, e continuando a forçar, senti o resto que faltava entrar por completo, eram em torno de 26cm e devia ter uns 9cm de grossura, Edu começou a bombar aquele cacete com vontade, e eu gritava e gemia de dor e tesão, quando percebi que algo quente escorria nas minhas coxas, era meu sangue, Eduardo havia de fato me rasgando algumas pregas. 



Enquanto me fodia, ele me abraçava passando a mao no meu peito e mordendo meu pescoço, ficamos naquele vai-vem por quase meia hora, sentia seu saco tocar minhas polpas, então Edu começou a bombar cada vez mais rápido, foi quando ele anunciou que ia gozar, mas nisso quem acabou gozando fui eu, confesso que foi um prazer que eu não conhecia nem imaginava ser possível, então Edu tirou o pênis de dentro de mim e disse que queria gozar na minha cara, e de pronto com as pernas bambas me ajoelhei diante dele e voltei a chupá-lo,não demorou muito e senti um jato quente e abundando enchendo minha boca com aquela porra gostosa, Edu parecia que nao ia parar mais de gozar, foi um gozo abundande que escorria pelos canto de minha boca, mas não disperdiçei nenhuma gotinha tomei tudinho. Depois disso nos recompomos e sentamos a conversar para debater aquele gostosa experiencia, entao depois de um tempo nos despedimos e ele foi embora.

Alguns dias depois fiquei sabendo que Edu contara para Felipe a respeito do acontecido, aí não preciso nem dizer, né? 

Felipe ficou curiosíssimo e foi conferir, mas isso é uma outra história que narrarei aqui em outra ocasião. Se quiserem me escrever sintam-se a vontade.

 


10 comentários:

  1. Não sei como sentem orgulho de contar uma coisa dessas... depois não sabem porque não são valorizados. Não se dão valor!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. psé, ficam romantizando estupro como se fosse algo super legal

      Excluir
    2. Já havia percebido o Machismo presente na Internet, como vídeos de "passivo gemendo" junto de dois babacas, sendo penetrado e fazendo oral! Além de "ator" descaracterizando atração homossexual, sendo penetrado mas se masturbando, como se não fosse possível termos ereção e orgasmo prostatico, sendo penetrado!

      Excluir
  2. Se um amigo desses, chega e me dá um tapa, vai levar outro na hora! Detesto violência, mais não sou saco de pancadas de ninguém, posso apanhar, mais bato também! Sexo, só com consentimento e se possível, com cumplicidade e tesao mútuo. Detesto homem babaca!

    ResponderExcluir
  3. Esses sites que dizem defender os gays, colocam este tipo de coisa no ar, é machismo tóxico preconceito puro. Quanta hipocrIsia! Somos homens iguais aos demais e exigimos antes de tudo, respeito! Além do mais, não acredito em quase nada, nestes contos, os caras são sempre heteros, homens de verdade, como dizem, mais as vezes, e muito discretamente, transam com outros caras, e são sempre super dotados. Vontade de dar porrada, na maioria, desses idiotas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, penso a mesma coisa... me daria um puta tesão ler um conto de um encontro com um cara normal, barrigudinho, pau normal. Todos os contos seguem o mesmo script. E isso que gera esses ativos tóxicos que se acham melhor que o passivo porque é "o que come"...

      Excluir
  4. Conto totalmente broxante. Não sei como alguém consegue sentir tesão ou qualquer coisa do tipo lendo uma barbaridade dessas. Estupro é crime!! E se isso realmente for verdade estão acobertando um estuprador. Que coisa mais nojenta.

    ResponderExcluir
  5. "'Que cuzinho quente, quer ser enrabado viadinho?", eu respondi: "Sim Eduardo, vai... me fode com vontade... tira minha virgindade'" O passivo chamando o ativo pelo nome e o ativo chamando o passivo de viadinho, com total falta de respeito. Como pode um ser humano se sujeitar a isso?

    ResponderExcluir
  6. Quero conhecer um pra pegar de jeito

    ResponderExcluir
  7. Quero um pra me dominar bem gostoso falar oque quiser no meu ouvido

    ResponderExcluir