sábado, janeiro 08, 2022

Fudendo com o tecnico da Net

 



Pra começar, sou um professor da rede pública em São Paulo, com 30 anos e convicto de minha bissexualidade.

Certa vez, minha TV a cabo e minha internet estavam com problemas, e liguei para a operadora buscando uma solução. Como não foi possível o conserto via telefone, uma visita técnica foi agendada. No dia seguinte, uma quarta-feira, chegou o técnico. Devia ter não mais que 22 ou 23 anos e começou pela TV, que estava sem sinal. Após verificar a conexão pelo próprio aparelho, ele veio ao meu quarto, onde fica meu computador, logo examinando o modem.


Após reconectar TV e Internet, ele fez testes, abrindo páginas da net. Porém, eu havia esquecido de apagar o histórico, onde havia alguns sites de vídeos gays e contos. Ao verificar o endereço, ele abriu a página, não disse nada, a fechou e olhou pra mim com um sorrisinho sacana. Eu queria um buraco pra me enfiar de vergonha. Ele notou meu rosto corado e disse "relaxa, já vi coisas piores em visitas técnicas". Eu fiquei mais aliviado e perguntei se ele faria mais alguma verificação na fiação ou algo assim, ao que ele respondeu, "bom, se quiser, posso verificar o que vc quiser". Não acreditei. O técnico tava afim de uma sacanagem. 



Então, eu lhe perguntei, se os caras que ele visitava já haviam passado alguma cantada nele. Ele respondeu que recebia direto, mas a maioria eram já senhores, e muitos deles muito escrotos, mas que, de repente, um carinha mais novo, poderia até rolar. Perdi minha timidez e cheguei próximo dele, levando minha mão até sua pica, que já dava sinal de vida.


Ele abriu o cinto, baixou o zíper e conforme foi descendo a calça junto de sua cueca, aquela pica retinha, com a cabeça rosadinha saltou na minha frente. Me abaixei e comecei a lambê-la e beijá-la. Aos poucos fui engolindo o pau dele, e o rapaz gemendo de tesão, dizendo "que boca gostosa, cara! vai me deixar gozar nela?", ao que respondi, "onde você quiser". Aquela foi a senha pra ele virar um animal no cio. Me puxou pra cima, e surpreendentemente, recebi um beijo quente, tesudo dele. Abri sua camisa e ele notou onde terminaria aquilo. Apertou minha bunda como se fosse de sua namorada e me disse "vou adorar comer você, cara". Que tesão ouvir aquilo.



Arranquei minha roupa, lhe entreguei uma camisinha e ele foi me dedando, pra que eu me acostumasse com o que viria. Aos poucos, aquele pau foi entrando em mim. Ele de pé e eu me apoiando na cama. As estocadas começaram com carinho e aos poucos foram aumentando de intensidade. Depois de uns bons 20 minutos socando em mim, senti seu pau inchar dentro de mim, ele ia gozar e rapidamente tirou seu pau de dentro de mim e me pediu pra chupar. 



Em poucos segundos, minha boca foi inundada de porra grossa e quente, que fiz questão de engolir na frente dele. Ele me deu outro beijo, olhou seu relógio e me disse que precisava ir, mas que gostaria de repetir a dose. Me deu seu celular e praticamente me intimou a ligar pra ele para marcarmos uma ida ao motel. Coisa que aconteceu duas semanas depois, e que logo, logo, contarei aqui também.


3 comentários:

  1. O conto é tão antigo, quanto a Net: Claro!Na véspera do Natal, eu coroa, teria recebido um beijo na boca, se não tivesse de máscara, de tão pertinho que senti o rosto e a boca de um cara por volta de 30 anos!

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir