sábado, janeiro 15, 2022

Transei com o amigo

 

O conto de hoje é bem realista e pé no chão...Mas a frase final é hilária😄


"Ainda somos amigos. Entretanto, meu pau já entrou no cuzinho dele."




Meu nome é Gustavo, hoje tem 20 anos, sou moreno, magro, cabelos cacheados, pau de 21 cm e moro no interior do Paraná. Desde os meus 9 anos eu tenho um amigo que é como um irmão, ele é alto, branco e malhado, se chama Gabriel, e ele sempre dormiu na minha casa, tomou banho comigo, bateu punheta do meu lado, faziamos tudo juntos.


Quando eu fiz 18 anos meus pais me deram de presente uma viagem ao Ceará, e o Gabriel, claro, foi comigo. Fomos para um hotel e ficamos na mesma cabana. Nos divertimos muitos, fomos à praia, à festas, pegamos muitas meninas e bebemos muito.


Num dos ultimos dias da viagem começou a chover, então ficamos o dia todo dentro da cabana bebendo, quando era a noite já estavamos bebados. Eu não estava muito bebado, mas o Gabriel ja estava bem mal.



Paramos de beber, eu arrumei o Gabriel na cama e fui me deitar. Durante a madrugada eu senti um peso nas minhas pernas, o Gabriel havia se deitado sobre elas. Fui tira-lo, ele segurou meus braços e me puxou pra cima dele.


Eu, sem entender nada, tentei me esquivar, mas ele estava me segurando com força. Eu disse:
- Me solta cara! Eu to morrendo de sono.
Ele me segurou com mais força e começou a me dizer no ouvido:


- Cara, vamos brincar um pouco, só uma vez, eu prometo. A gente brinca, se voce não curtir a gente para.
Se eu estivesse sóbrio não faria nada, mas o alcool nos liberta de todos os nossos desejos, então cedi e comecei a me amassar com ele.



Nos chupamos muito, ele chupou meus pés, eu lambi o suvaco dele e nos beijamos muito. Depois de nos chuparmos ele disse que ia ao banheiro mijar, mas eu o interrompi:
- Mija em mim, deixa eu sentir seu cheiro!
Ele molhou todo o meu corpo com seu mijo quente. Depois de terminar de mijar ele pediu que eu o comesse. Eu disse que não o comeria, que aquilo não era certo. Ele insistiu e eu acabei cedendo.



Coloquei ele deitado entre os travesseiros e comecei a enfiar meu pau naquela bunda redonda, ele gemia baixinho:
- Me come cara, me come, deixa eu sentir seu pau!
Eu enfiei com tudo e ele deu um gemido intenso, fiquei dando estocadas fortes nele até gozar. Logo depois de mim, ele gozou. Nos deitamos um em cima do outro e dormimos. No outro dia, sem graça, ele me pediu desculpas. 

Eu disse que estava tudo bem. Isso nunca mais aconteceu, ainda somos amigos. Entretanto, meu pau já entrou no cuzinho dele.

Nenhum comentário:

Postar um comentário